Fri, September 10, 202110 minutos lidosBernhard Meuser

O Rosário

Após o Pai Nosso e a Ave Maria, o Rosário é a forma mais difundida de oração no cristianismo. Como esta oração implica uma proximidade especial com a Mãe de Deus, como a que se ve no catolicismo, é nesta mesma denominação cristã que ela tem seu lugar.

Ⓒ Photo by Charith Kodagoda from Pexels

Definição


Rosário é o "nome de uma corrente usada na oração e, ao mesmo tempo, um exercício de oração nascido no século XII entre os cistercienses e cartuxos, cujos irmãos leigos não participavam na Liturgia das Horas, celebrada em língua latina, mas tinham no Rosário uma forma própria de oração (saltério mariano). Mais tarde, o Rosário foi fomentado por várias ordens, sobretudo a dos dominicanos."(YOUCAT 265). Após o Pai Nosso e a Ave Maria, o Rosário é a forma mais difundida de oração no cristianismo. Como esta oração implica uma proximidade especial com a Mãe de Deus, como a que se ve no catolicismo, é nesta mesma denominação cristã que ela tem seu lugar. Mas, os cristãos ortodoxos e protestantes também usam às vezes o terço ou formas similares de oração com contas para rezar. Encontramos precursores do rosário de hoje entre os eremitas do deserto dos séculos III e IV, que procuravam um meio de cumprir o comando bíblico de "orar sem cessar" (1 Ts 5,17). Ao rezarmos o terço rezamos o Credo uma vez, o Pai Nosso 6 vezes e a Ave Maria 53 vezes, e isso nos ajuda a nos concentrarmos em Deus e na história de nossa redenção por 15-30 minutos. O rosário está dividido em "mistérios". Há os Mistérios Gozosos do Rosário, que meditam sobre os mistérios da Encarnação de Deus, os Mistérios Dolorosos do Rosário, que contemplam a Paixão de Cristo, os Mistérios Gloriosos do Rosário, que se referem aos mistérios da Ressurreição e do Consumo, e os Mistérios Luminosos do Rosário, que evocam os mistérios da vida pública de Cristo. São João Paulo II chamou o Rosário de "o caminho real da contemplação".

O que a Bíblia diz?


Os críticos freqüentemente dizem que o rosário é uma invenção católica não bíblica, que até contradiz a ordem de Jesus "Nas vossas orações, não multipliqueis as palavras, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos à força de palavras. Não os imi­teis, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais"(Mt 6,7-8). Esta escritura não é uma repreensão à oração fervorosa e prolongada, mas refere-se às práticas mágicas supplicatórias da época. Certamente, o rosário também pode ser usado indevidamente como uma invocação mágica a Deus. Entretanto, ao contrário de sua reputação, o rosário é profundamente bíblico. O Pai Nosso encontra-se em Mt 6,9-13; a Ave Maria é uma composição de Lc 1,28 e Lc 1,42, complementada por uma petição acrescentada pelo Papa Pio V em 1568. Os quatro tipos de mistérios do rosário meditam exclusivamente sobre acontecimentos da vida de Jesus e se referem a histórias bíblicas. Concisamente, YOUCAT 149 afirma que o Rosário "é uma síntese do Evangelho".

Uma pequena catequese do YOUCAT:


Tempo para Deus 

Então você decidiu dar a Deus o primeiro lugar em sua vida? Então eu lhe pergunto: quantos de seus 1.440 minutos - porque isso é quantos minutos você tem em seu dia - você dá a Deus? Vamos levar apenas metade (porque em algum momento as pessoas têm que dormir, comer e trabalhar, né?), quantos de seus 720 minutos pertencem a Deus? 3 minutos? 5 minutos? 10 minutos? Isso seria 0,4% ou 0,7% ou 1,4%. Essa é a realidade. Pelo menos é melhor do que não rezar, ou manter o equilíbrio do cristianismo em uma alternância de orações intermitentes ("Socorro, Senhor, você é meu último recurso!") e maldições ("Vá para o inferno, idiota!"). 

Deve ficar claro: sabemos que uma prioridade é realmente uma prioridade quando dedicamos tempo a ela. Caso contrário, não é uma prioridade. "Não se pode", disse uma vez Romano Guardini, "a longo prazo, ser um bom cristão sem orar, não mais do que se pode viver sem respirar". Mas, ao mesmo tempo, Guardini afirma muito sóbriamente: "Em geral, o homem não gosta de rezar. Ele facilmente sente tédio, vergonha, relutância, até mesmo hostilidade. Tudo o resto parece mais agradável e importante para ele". Nada agrada mais ao diabo do que nos desviar de Deus e do amor. Para a oração, portanto, precisamos de uma decisão, de uma vontade firme e de alguém que organize bem seu tempo de oração. 

E talvez o rosário. Há mais de duas décadas, um bom amigo me aconselhou na minha necessidade de rezar: "Pegue isto, e comece a fazer!”.

Romano Guardini was a German Catholic priest, author, and academic. He was one of the most important figures in Catholic intellectual life in the 20th century.

O cabo de conexão

Foi talvez o melhor conselho que já me foi dado em minha vida. Desde então, tenho feito parte da comunidade. Há pessoas que vivem vidas ocupadas, mas deliberadamente tiram um tempo de seu dia quando não estão pagando contas, tendo conversa fiada, olhando para telas ou cuidando de crianças. Eles dão uma caminhada ou se retiram para um canto de seu apartamento, colocam o smartphone em silêncio e entram na presença de Jesus, que Maria fez um lar. O Papa Francisco é um dos que acreditam que não há melhor cabo de conexão com o Evangelho e a presença de Deus do que o rosário. O que é ainda mais surpreendente: nas últimas três décadas, mais e mais jovens têm aparecido que querem viver sua fé de forma radical, em vez de se envolverem em um cristianismo burguês e superficial. Parte da culpa é de um ancião que nunca deixou o terço de suas mãos doentes e gritou aos jovens onde quer que os conhecesse em suas viagens pelo mundo: "Nunca se contente com a mediocridade!” O nome do homem? João Paulo II. Os católicos da Europa Ocidental, que se encontravam na jornada de maior adaptação ao mundo, não conseguiram explicar seu fascínio pelo homem com o rosário. Afinal, eles consideravam a devoção mariana uma etapa ultrapassada da educação católica e o rosário uma relíquia da Idade Média.

Misticismo para iniciantes

Se ao menos tivessem ouvido o famoso teólogo Karl Rahner, que certa vez disse: "O homem piedoso de amanhã será um místico, um que já experimentou algo, ou não será mais". O rosário é um misticismo para iniciantes. Misticismo é o amor que vai cada vez mais fundo. Quem se confia à lógica do Evangelho e procura a pessoa que estava na proximidade mística com Jesus, encontrará sua mãe. Romano Guardini fala de rezar o Rosário como "habitar na esfera da vida de Maria, cujo conteúdo é Cristo". Entra-se num espaço repleto do aroma terno do amor, deixa-se ficar, olha-se, contempla-se, sente-se, ... uma e outra vez, todos os dias, por uma vida inteira. Paul Badde uma vez comparou os vinte mistérios do Rosário a "fechaduras para entrar nos Evangelhos", "através das quais, como com um prisma, cada vez mais se apreende a realidade da encarnação de Deus em Jesus - e "com os olhos de sua mãe", como disse João Paulo II.   

Um cálculo que funciona

A propósito: Quem reza o terço todos os dias já está com Jesus 7 x 20 minutos/semana. Isso é 7.280 minutos/ano. São 5 dias inteiros que você está com Jesus. Ou antes bem com Maria? Só posso confirmar o que disse São Grignon de Montfort: "Maria é o caminho mais rápido, mais curto, mais seguro, mais fácil e mais perfeito para Jesus Cristo". O mais rápido: Maria já está onde você quer ir como cristão. O mais curto: Maria lhe poupa mil desvios. O mais seguro: ela sabe como chegar a Jesus. O mais fácil: você pode se abandonar à sua orientação. O mais perfeito: você não encontrará mais confiança em Jesus em nenhum lugar. ∎