sex., 17 de julho de 202010 minutos lidosBernhard Meuser

Quais são as 3 principais orações católicas?

Orar é parte da rotina diária de um cristão, mas quais são as orações católicas mais importantes? Aqui você encontrará uma visão geral.

Ⓒ Photo by Il ragazzo on Cathopic.

Definição


Oração

Em quase todas as religiões, a oração é uma das práticas mais significativas pela qual expressamos veneração e aceitação do divino. Os seres humanos sempre mostraram reverência ao desconhecido e tentaram se entender com ele. É assim que práticas de oração, ritos, palavras e até os chamados feitiços mágicos foram desenvolvidos para se aproximar de Deus. A oração cristã não tem nada a ver com magia, mas é antes uma expressão de relação. Os cristãos oram ao Deus trino, e, no fim, todas as orações são dirigidas a esse Deus. Você também pode pedir a ajuda dos santos, mas nunca os adorar. YOUCAT 469 diz: “Estamos em oração quando o nosso coração se dirige a Deus. Quando uma pessoa ora, entra numa relação viva com Deus”.

O cristianismo tem 5 principais tipos de oração. “Os cinco principais tipos de oração são a benção, a adoração, a oração de súplica e de intercessão, a oração de ação de graças e a oração de louvor” (YOUCAT 483). Você não pode ser um cristão se não orar. “Desde os tempos mais remotos, os cristãos oram de manhã, às refeições e à noite. Quem não ora regularmente deixará de orar em pouco tempo”(YOUCAT 499). A oração pessoal individual é importante, mas é ainda mais importante a oração comunitária da “Liturgia das Horas” ou a Liturgia da Igreja.

O que a Bíblia diz?


Mesmo nos tempos remotos, o povo de Israel invocou “o nome do Senhor” (Gn 4, 26). Os Salmos, que têm 3000 anos de idade, ainda são rezados hoje. Jesus viveu toda sua vida baseada na oração, e ensinou seus discípulos a rezar o “Pai Nosso”. Passagens bíblicas famosas:

  • Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para sua pobre serva. (Lc 1, 46ss. O “Magnificat”)

  • Um dia, num certo lugar, estava Jesus a rezar. Terminando a oração, disse-lhe um de seus discípulos: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”. Disse-lhes ele, então: “Quando orardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o vosso nome; venha o vosso Reino. (Lc 11, 1-2)

  • Vivei sempre contentes. Orai sem cessar. Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo. Não extingais o Espírito. (1 Ts 5, 16-19)

  • ... Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos. (Ef 6, 18)

  • Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças. (Fl 4, 6)

Uma pequena catequese do YOUCAT:


Como orar?

Talvez possamos aprender algo com os alpinistas. Dizem que as provações nos levam a orar. Há também uma piada sobre um alpinista que escorregou e está pendurado sobre uma pequena fenda. Ele consegue se segurar, mas aos poucos vai perdendo sua força. Desesperado, ele clama ao céu: “Tem alguém aí?” – “Oh, sim!” a resposta reverbera das nuvens. “O que devo fazer?” – “Faça uma oração, meu filho – e depois solte!”. O alpinista pensa nisso por um momento; ele não tem muito tempo. Finalmente, ele clama: “Tem mais alguém por aí?”.

Há uma verdade em cada piada, significando o que as pessoas pensam lá no fundo. No caso da oração, talvez pensem: “Ok, talvez exista um Deus. Mas é melhor não confiar demais n’Ele. É melhor confiar nas coisas que você de fato pode ver e tocar”. E é por isso que consideram (ou até mesmo afirmam) as pessoas que oram não com admiração, mas com ceticismo. Elas não estão apenas sonhando acordadas para evitar lidar com a dura realidade?

É o contrário

A oração é o contato mais intenso possível com a realidade.

Se Deus realmente existe – e os cristãos acreditam que sim – então Deus é a própria realidade, e é ainda mais real do que o que enxergamos e consideramos real na frente dos nossos olhos. Se isso é verdade, então estar em um relacionamento com Deus – que é a oração – é uma coisa muito natural de se fazer, quase tão natural como “respirar, comer e amar” (YOUCAT 470). A oração funciona sob cinco condições:

  1. O Deus que os cristãos adoram existe.

  2. Esse Deus não é um tipo de energia obscura, anônima, vagando pelo espaço.

  3. Esse Deus é de alguma forma uma pessoa com um espírito e livre-arbítrio (porque se cada ser humano possui essas características, Deus as tem 3 vezes mais).

  4. Esse Deus se interessa por nós.

  5. Você pode sempre falar com esse Deus. “Conhecer, servir e adorar a Deus tem absoluta prioridade na vida” diz YOUCAT 352.

E se você estiver inseguro?

Martin Buber conta uma lenda hassídica que vai direto ao ponto central. Ou Deus é um tipo de boato e a oração, portanto, é só uma forma de tatear as coisas no escuro, ou ELE é real, e por isso a oração é a única resposta adequada. A lenda é a seguinte: “Um reformista veio ao Rabi Levi Yitzhak para destruir as provas sobre as quais a fé é construída. O Rabi ouvia silenciosamente o escarnecedor, depois olhou diretamente pra ele e replicou com uma sentença: ‘Mas isso pode ser verdade!’. Dizem que o homem estremeceu ao olhar para o sábio ancião. Finalmente, o Rabi disse: ‘Meu filho, o grande Povo da Torá, com quem você brigou, desperdiçou suas palavras com você. Você riu deles quando os deixou. Eles não puderam levar Deus a você, e eu não também não posso. Mas, meu filho, reflita: talvez isso seja verdade”. O reformista tentou convocar toda sua força interior, mas o terrível “talvez” ressoou nele e quebrou sua resistência.

Praying Hands, by Albrecht Dürer.

Você precisa primeiro acreditar, antes de orar?

Ou é necessário primeiro orar para poder acreditar? YOUCAT 469 diz: “A oração é a porta para a fé”. Há certa celebridade alemã que uma vez contou sobre como ela encontrou seu caminho de volta à fé, em meio a um momento dramático de sua vida. Abaixo do peso e viciada em drogas, ela viveu em uma casa em ruínas em Amsterdã e não sabia como seguir em frente: “Foi quando chorou a noite inteira por Jesus. De manhã eu soube: “Ele está lá!”. Eu também tendo a acreditar que a oração precede a crença. Através da oração, você encontra a fé – uma vez no início, e depois de novo e de novo ao longo da vida.

Oração é relação

Se procedemos de Deus, e somos presos à existência por Deus e somos dependentes d’Ele em cada segundo de nossas vidas, e se sempre corremos em direção aos Seus braços, não importa a direção que tomemos, então a oração é o caminho fundamental pelo qual podemos permanecer com os pés no chão e manter contato com a realidade. A oração, diz YOUCAT 469: “é quando nosso coração se dirige a Deus. Quando uma pessoa ora, entra numa relação viva com Deus”.

Bem colocado, mas como podemos chegar lá se nunca rezamos antes? Talvez precisemos tomar nota de um fato: “Porém não se aprende a orar como se aprende uma técnica. Embora isso soe estranho, orar é um dom que se obtém na oração” (YOUCAT 469). Você até poderia dizer que a oração já está dentro de você muito antes de começar a rezar. “Ela” ora dentro de nós, mas não temos consciência disso, já que raramente estamos realmente conectados a nós mesmos. Nós corremos, estamos distraídos (ou procurando por distrações), estamos ocupados com milhões de coisas, e nunca estamos realmente conectados a nós mesmos e nos afastamos de nossos corações. Se estivéssemos em sintonia com nós mesmos, teríamos descoberto o segredo de toda alma humana: há uma seta bem no fundo da minha alma que aponta para o céu, e que não se finda até que chegue a Deus. Você não pode destruir essa seta. Ela também não depende de nossas circunstâncias particulares. Algo dentro de nós anseia por Deus e já O conhece muito antes de fazermos contato oficialmente. Lemos na Bíblia: “Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis”. (Rm 8, 26)

Como orar

A Primeira Regra é: organize-se. Você nunca vai entrar numa conversa com Deus se você não arranjar tempo e permitir que Ele fale através de sua vida.

Segunda Regra: Você precisa de um local para orar. Talvez não deva ser a sua cama, onde você corre o risco de adormecer. Mas pode ser perto da sua cama, onde você gasta algum tempo com Deus pela manhã ou no meio da noite.

Terceira Regra: tente ter silêncio quando você ora. Talvez acender uma vela possa ajudar. Retire todas as distrações. Desligue seu celular. Se você tem paz dentro de você, então você poderá estar com Deus em meio a um metrô lotado (eu amo rezar durante longos trajetos de carro).

Quarta Regra: varie entre orações tradicionais e improvisadas, que brotam do seu coração. Se você só prefere orações pré-formuladas, você pode correr o risco de ficar um pouco rígido; se você só ora livremente, você pode acabar falando sempre as mesmas coisas.

Quinta Regra: Tente fazer com que a adoração e a gratidão tomem a frente quando você ora – assim, você pode sempre levar a Deus o que quer que carregue no seu coração: “E eu vos digo: pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á” (Lc 11, 9).

Sexta Regra: Não converse com Deus de forma artificial, mas sim como se conversasse com um amigo. Ele entende você!

Sétima Regra: ore com seus amigos. Adorem juntos o Senhor num encontro de oração. Organizem um encontro de Adoração ao Santíssimo. Encontrem-se para orar e orem com a Bíblia ou um livro de orações.

Oitava Regra: Não creia que Deus é um leão prestes a atacar você se você chegar perto demais. Deus é belo. ∎